DIA DO IDOSO: saúde em todas as idades

1 out

dia do idosoNesta terça-feira, 1º de outubro, comemoramos o Dia Internacional do Idoso. A data busca chamar atenção de toda a sociedade para os cuidados com a saúde, a garantia dos direitos e o incentivo ao desenvolvimento das mais de 600 milhões de pessoas que hoje têm mais de 60 anos, em todo o mundo.

Este ano, a campanha da Organização Mundial da Saúde alerta para a revolução demográfica que estamos vivendo, globalmente: a estimativa é que o número de idosos dobre até 2025 e chegue a dois milhões em 2050 – com maior concentração nos países em desenvolvimento. No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas com mais de 65 anos deve quadruplicar até 2060. Isso significa que a população com essa faixa etária deve passar de 14,9 milhões, em 2013, para 58,4 milhões em 2060 – saltando de 7,4% para 26,7% do total de brasileiros.

O desafio, em uma sociedade que valoriza cada vez mais a juventude, é reconhecer a sabedoria e a valiosa contribuição de nossos idosos. E assim garantir que essa população tenha qualidade de vida, acesso aos serviços de saúde, direitos, deveres e efetiva participação na sociedade.

Atenção, cuidado e prevenção

Como todo segmento da população, idosos convivem com determinadas condições naturais desta fase da vida – e algumas delas requerem maior atenção de todos nós.  Um cuidado é importante é com a prevenção de quedas e acidentes, sobretudo dentro de casa. Segundo o Ministério da Saúde, esse tipo de evento já atingiu a proporção de epidemia no Brasil. De acordo com o órgão, a queda em pessoas idosas está associada à dificuldade de visão, auditiva, uso inadequado de medicamentos, dificuldade de equilíbrio, perda progressiva de força nos membros inferiores, osteoporose, dentre outras situações clínicas que culminam em maior probabilidade de uma pessoa idosa cair.

O site Casa Segura fornece dicas sobre como transformar quartos, salas, cozinhas e banheiros em ambientes mais seguros para os idosos

Algumas medidas simples podem ser adotadas para prevenir esses eventos e garantir mais segurança e saúde aos idosos.  No quarto, a cama deve ter uma altura de 45 a 50 centímetros, incluindo o colchão – que deve ter densidade adequada ao peso da pessoa. É indicado que idosos levantem-se devagar, com calma, e ainda sentados na beirada da cama apoiem os pés antes de se levantar. Esse procedimento previne a ocorrência de tonturas, que podem levar à queda. A mesa de cabeceira deve ser cerca de 10 centímetros mais alta que a cama, com as bordas arredondas e fixada no chão ou na parede – para que o móvel não se desloque caso alguém se apoie nele.

No banheiro, a recomendação é instalar barras de segurança, para que o idoso possa se apoiar. O box é mais indicado que a banheira e deve ter largura mínima de 80 centímetros, desnível máximo de 1,5 centímetro em relação ao piso do banheiro e assento fixo, com largura mínima de 45 centímetros e altura de 46 centímetros acima do piso do banheiro.

De maneira geral, é recomendado evitar prateleiras de vidro e outros materiais cortantes, quinas pontiagudas, cortinas pesadas, tapetes, fios e cabos soltos. Andar só de meias também não é uma boa ideia, pois aumenta o risco de queda: é mais seguro usar chinelos antiderrapantes. Confira outras dicas do site Casa Segura, recomendado pelo Ministério da Saúde.

Promoção da saúde do idoso no Rio de Janeiro

Além de medidas de segurança para prevenção de quedas e acidentes, é fundamental que o idoso tenha uma vida ativa e pratique exercícios físicos com regularidade e acompanhamento profissional. Idosos, seus familiares e acompanhantes também devem estar atentos à alimentação e às atividades sociais – uma vida dinâmica e divertida é a melhor forma de evitar a solidão e a depressão.

No bairro da Gamboa, os idosos que frequentam o Centro Municipal de Saúde da Providência reúnem-se a cada quinze dias para conversar, dançar, jogar e, claro, cuidar da saúde. Para promover saúde e garantir melhor qualidade de vida para os idosos, a iniciativa promove atividades lúdicas e passeios – atividades essenciais para alegrar a vida, sentir-se útil e evitar a depressão. Os encontros também proporcionam tratamentos relaxantes, como a reflexologia – uma massagem nos pés, que por meio do estímulo de determinados pontos energéticos e terminações nervosas contribui para prevenir e tratar problemas físicos e emocionais.

Vida ativa e saudável

Visando à melhoria da qualidade de vida dos idosos cariocas, a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Especial de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida criaram, respectivamente, o Programa Academia Carioca e Academia da Terceira Idade. Por meio de atividades físicas, ações educativas e promoção de hábitos saudáveis, os programas têm ajudado a população, principalmente os idosos, a conquistar mais bem-estar – físico, emocional e social.

Na Academia Carioca da Saúde, a prática regular de atividades físicas substitui a administração de medicamentos e gera mais qualidade de vida para os idosos / foto: Publius Vergilios

Na Academia Carioca da Saúde, a prática regular de atividades físicas substitui a administração de medicamentos e gera mais qualidade de vida para os idosos foto: Publius Vergilios

Atualmente, mais de 42 mil pessoas participam do Programa Academia Carioca em 77 unidades de saúde da cidade do Rio de Janeiro. Dessas, mais de 18 mil são idosas – o equivalente a 44% – sendo 79% mulheres e 21% homens. Entre os idosos, 93% são hipertensos; 28% diabéticos e 44% estão acima do peso. No entanto, depois que começaram a participar das atividades físicas e acompanhamento nutricional, 53% emagreceram, 82% passaram a ter a pressão arterial controlada e 84% passaram a controlar também os níveis de glicemia.Além disso, dos 18 mil idosos, mais de 12 mil tomavam medicamentos. No entanto, desde que começaram a fazer parte do programa, 10,1% deixaram de precisar dos remédios. Além disso, 68% diminuíram a dosagem e 56% a frequência na administração dos medicamentos.E os benefícios da prática de regular de exercícios não param por aí: 88% dos idoso que frequentam a Academia Carioca da Saúde relataram sentir menos dor no corpo, 90% se sentem mais dispostos, 98% aumentaram o convívio social e 92% melhoraram a qualidade do sono.

O aposentado Antonio Oliveira, de 68 anos, é um dos frequentadores da Academia Carioca da Saúde do Complexo do Alemão. Seguindo recomendações médicas, precisava tomar nove medicamentos para controlar a pressão alta. Desde que começou a frequentar a Academia Carioca da Saúde, deixou de lado seis remédios. Hoje, com os exercícios regulares, precisa de apenas três medicamentos para regular a pressão. “Os exercícios são meu novo remédio. Não falto à academia um dia. Cheguei aqui com a pressão 17 por 11. Sentia muita dor de cabeça e isso me deixava de mau humor. Sem dor, estou de bem com a vida e fiquei muito mais ativo”, contou Antonio, em entrevista ao jornal O Dia.

O programa das Academias da Terceira Idade, por sua vez, leva atividade física aos idosos em áreas públicas, indispensavelmente orientada por profissionais qualificados, com o objetivo de proporcionar independência e autonomia funcional dos usuários. Hoje, o projeto que foi implementado em 2009, conta com 130 núcleos distribuídos pelas praças da cidade do Rio de Janeiro, e tem um total de 45 mil inscritos – 70% mulheres e 30% homens.

Dia do idoso

No Brasil, o Dia do Idoso é comemorado na mesma data do Dia Internacional do Idoso, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) na Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento, realizada em 1982, na Áustria. Assim, a Lei nº 11.443, de 28 de dezembro de 2006, além de instituir o dia 1º de outubro para as comemorações, determina que os órgãos públicos responsáveis pela coordenação e implementação da Política Nacional do Idoso se responsabilizem pela realização e divulgação de eventos que valorizem a pessoa idosa na sociedade.

Saiba mais:
— Conheça o Programa Academia Carioca da Saúde
— Acompanhe o Twitter da Secretaria Especial de Envelhecimento e Qualidade de Vida
— Veja as dicas do site Casa Segura para prevenção de quedas e acidentes domésticos
Leia também:
— Publicações da OMS sobre envelhecimento ativo e saudável (em inglês)
— Ações, políticas e programas da ONU para pessoas idosas
— Estatuto do Idoso (Ministério da Saúde, 2009)
— Cadernos de Atenção Básica: Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa (Ministério da Saúde, 2006)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s