DIA MUNDIAL SEM TABACO: conscientização pelo bolso

31 maio

O aumento de impostos sobre os produtos do tabaco é uma das principais recomendações da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde (OMS) – tratado internacional que envolve cerca de 200 países no esforço global para o controle do tabagismo. Este ano, a questão ganha força ao ser eleita como tema para o Dia Mundial Sem Tabaco, 31 de maio. A OMS estima que ao elevar em 50% as taxas tributárias referentes ao tabaco será possível preservar 11 milhões de vidas em todo o mundo, em três anos. Segundo a entidade, hoje uma pessoa morre a cada seis segundos por causas decorrentes do tabagismo.

No Brasil, a medida foi adotada em 2012 e desde então os produtos do tabaco já sofreram diversos aumentos. Atualmente, o maço de cigarros mais barato sai por R$ 5,75 e o mais caro por R$ 8,75. Desta forma, uma pessoa que fuma um maço de cigarros por dia gasta, para manter o hábito, cerca de R$ 200 por mês e de R$ 2 mil a R$ 3 mil por ano. Além das perdas financeiras imediatas, existem os danos para saúde a curto, médio e longo prazo – tanto para o fumante quanto para os que convivem com ele, expostos ao fumo passivo, especialmente as crianças.

o que vc pode comprar se parar de fumar

Baixe a tabela com o custo do consumo de tabaco por mês e ano.

Ao longo dos últimos 15 anos, as iniciativas para controle de tabagismo no Brasil resultaram na redução da prevalência de fumantes de 34,8%, em 1989, para 11,3%, em 2013. Além do aumento do preço dos produtos do tabaco, a proibição de fumo em ambientes fechados contribuiu significativamente para esta conquista. Especialistas afirmam que a medida ajuda a prevenir a iniciação entre jovens, que ao frequentar locais sem fumo não são estimulados a imitar a prática; a proteger trabalhadores que estavam  expostos ao fumo passivo, como garçons; e a estimular fumantes a reduzirem e repensarem seu consumo.

Ambientes Livres do Fumo

Na cidade do Rio de Janeiro, o Dia Mundial sem Tabaco vai chamar a atenção para a iniciativa de manter Ambientes Livres do Fumo, garantida pela lei nº 5517/09, vigente em todo o Estado do Rio. Restaurantes, shoppings, casas noturnas e demais estabelecimentos livres do fumo terão a sinalização intensificada para orientar cariocas e turistas sobre a proibição de fumar em ambientes de uso coletivo total ou parcialmente fechados. Serão disponibilizados cartazes em quatro idiomas, para contemplar também os turistas que circulam pela cidade – muitos de países e estados brasileiros onde o fumo em ambientes coletivos ainda é tolerado. A ação é promovida pela Vigilância Sanitária Municipal e pelo Programa de Controle do Tabagismo, ambos da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Por que é difícil parar de fumar?

Muitos fumantes tem vontade de parar de fumar, mas deixar essa dependência pode não ser fácil, mesmo diante das evidências de que o cigarro faz tanto mal para saúde, para beleza, para o bolso, para as crianças, para o meio ambiente, para a liberdade….É que, para deixar de fumar, o fumante precisa lidar com o desconforto pela falta da nicotina; os sentimentos associados ao cigarro, percebido como um apoio nos momentos bons e ruins; e hábitos associados ao fumo, que se tornam automáticos devido à repetição. É fundamental que o fumante saiba que essas sensações pela falta do cigarro podem ser mais intensas no início, mas elas passam com o tempo. O corpo reaprende a viver bem sem o cigarro e é importante valorizar todos os benefícios que surgem, desde o começo, sem as 4.700 substâncias tóxicas existentes num cigarro.

 Quer parar de fumar? Saiba onde encontrar tratamento no SUS e procure a unidade de saúde mais próxima da sua casa!

Tratamento na rede municipal de saúde

A cidade do Rio de Janeiro tem o maior número de centros de tratamento de tabagismo da rede pública de saúde do Brasil. A Secretaria Municipal de Saúde conta com o Programa de Controle do Tabagismo em 150 unidades de saúde. Em média, cada unidade oferece 20 vagas por mês para pessoas que desejam parar de fumar. O programa acontece em três etapas: primeiro, o paciente é entrevistado individualmente para levantamento de seu perfil como fumante. Em seguida, são marcados encontros semanais, nos quais são passadas explicações sobre os três tipos de dependência do cigarro – física, psicológica e comportamental ou de hábito – e técnicas sobre como lidar com cada uma delas. O objetivo dessa primeira fase do tratamento é promover a compreensão do fumante sobre sua relação com o cigarro, para que assim ele tenha mais força de vontade para deixar de fumar.

Na segunda fase, são oferecidas as reuniões de manutenção, para ajudar o paciente a permanecer sem fumar, acompanhando-o em situações do dia a dia que poderiam estimular recaídas. Inicialmente esses encontros são semanais, depois quinzenais e mensais, até completar um ano de tratamento. Quem deseja parar de fumar deve procurar a unidade mais próxima da sua residência. Para saber qual a unidade de saúde mais perto de sua casa.

Saiba mais:
— Veja a chamada da OMS para a campanha (em inglês)
— Conheça a Convenção Quadro para o Controle do Tabaco da OMS
— Acesse o site da Aliança de Controle do Tabagismo
— Leia entrevisa do oncologista Marcos Moraes, presidente do Conselho de Curadores da Fundação do Câncer, sobre controle do tabagismo

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s