EXPOSIÇÃO “TODA CASA TEM QUE TER CARINHO”: RAP DA SAÚDE DA CAP 5.3 APOIA A REDE “NÃO BATA, EDUQUE” NA CLÍNICA DA FAMÍLIA WALDEMAR BERARDINELLI

9 ago
Banner da exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Banner da exposição “Toda casa tem que ter carinho”

“Em 2003, Maria do Rosário, ex ministra da Secretaria de Direitos Humanos, apresentou o Projeto de Lei 2.645, que dispõe sobre a alteração do ECA “estabelecendo o direito da criança e do adolescente a não serem submetidos a qualquer forma de punição corporal, mediante a adoção de castigos moderados ou imoderados, sob a alegação de quaisquer propósitos, ainda que pedagógicos”. Dois anos depois, em 2005, o Instituto Pro-mundo, a Fundação Abrinq – Save the Children, a Fundação Xuxa Meneghel, a Frente Parlamentar Mista de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e a agência Comunicarte se reuniram com a ONG Save the Children Suécia, para apoiar a tramitação e a aprovação deste Projeto. Esse encontro se tornou a primeira articulação que resultaria na formação da Rede Não Bata, Eduque.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

“A Rede atua pela conscientização de que crianças devem ser formadas a salvo de castigos corporais. Entre seus objetivos, destacam-se: influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados a pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto; atualizar o marco jurídico brasileiro aos marcos legais internacionais para a proibição dos castigos físicos e tratamento humilhante de crianças e adolescentes; influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes; promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede; chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

A Clínica da Família Waldemar Berardinelli, em parceria com a Fundação Xuxa Meneghel, receberá de 09 à 26 de agosto, na unidade de saúde, a exposição “Toda casa tem que ter carinho”, resultado do Concurso Nacional “Não Bata, Eduque”, de 2015, que selecionou desenhos, falas, vídeos e fotografias produzidos por crianças e jovens com idades entre 06 e 29 anos. Os trabalhos revelam o olhar de meninos, meninas e jovens sobre um tema que lhes afeta diretamente. O RAP de Saúde da CAP 5.3 realizará durante a semana uma visita guiada a exposição e participará de diversas ações, visto que a temática está amplamente inserida no dia-a-dia desses adolescentes e jovens; trazendo para eles uma importante base para o diálogo entre pares e atividades que possam vir a praticar durante a realização do Curso de Adolescentes e Jovens Promotores da Saúde.

Adolescentes e jovens RAP da Saúde CAP 5.3 e profissional da Fundação Xuxa Meneghel durante montagem da exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Adolescentes e jovens RAP da Saúde CAP 5.3 e profissional da Fundação Xuxa Meneghel durante montagem da exposição “Toda casa tem que ter carinho”

Para Joanne de Mattos, Gerente da Clínica da Família Waldemar Berardinelli: “Essa temática é muito relevante para a saúde porque assistimos a população para que tenham completo bem estar físico, mental e social. A exposição no ambiente de Saúde visa conscientizarmos os usuários sobre a importância das relações saudáveis e agrega valor ao trabalho dos profissionais de saúde, com a mensagem deixada e beleza visual.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

Segundo a Assistente Social da Clínica da Família Waldemar Berardinelli, Patrícia Campos: “A exposição foi montada com a participação do RAP da Saúde e a programação das rodas de conversa foi feita com a participação dos jovens do Projeto e do NASF da unidade. Avalio que a chegada da exposição na unidade de Saúde será um momento muito importante para aprofundarmos o debate acerca deste tema que muitas vezes ainda é pouco discutido no cotidiano da Saúde . Penso que a partir das construções artísticas destas crianças poderemos alcançar e abordar de forma diferente os diversos públicos que frequentam a nossa unidade de saúde, possibilitando e facilitando o debate não só com o público atendido, mas também com os profissionais de saúde, daí nossa preocupação em incluir os ACS nesta roda. A discussão e a problematização de outras formas de cuidado, que não seja através da violência, precisa ser um tema cotidiano para nós profissionais de saúde, pois muitas vezes ouvimos relatos de usuários e também de profissionais sobre as suas dificuldades em enfrentar ou lidar com estas questões.”

Estão programadas rodas de conversa nos seguintes dias:

15/8 – Idosos e participantes da Academia Carioca.
17/8 – Agentes Comunitários de Saúde.
24/8 – Adolescentes gestantes.
15/8 – As crianças que são atendidas pela psicóloga do NASF farão um visita guiada e após está visita farão uma atividade específica voltada para esta questão da violência.
Ao longo da exposição acontecerão intervenções como sala de espera e visitas guiadas.
As rodas serão executadas pelo RAP da Saúde.

Equipe Elos da Saúde

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s