Archive | deu certo! RSS feed for this section

Quem sou eu?

5 set

quem sou eu1

“Quem sou eu?” Uma pergunta simples, mas muito difícil de ser respondida. Ao ser questionada não há uma pessoa que tenha a resposta na ponta da língua. Gaguejar, dar voltas ou até mesmo ficar calado são algumas das reações. Afinal, quem sabe exatamente quem é, o que deve fazer, quem está tão seguro de suas ideias, ideais, sonhos, desejos, convicções?

Jovens, então, passam por muitas mudanças e é por isso que o diálogo e a troca são fundamentais para a construção de uma sociedade mais consciente e participativa.

Foi pensando nisso que o RAP da Saúde da CAP 3.2 teve a iniciativa de promover, no dia 22 de agosto, na Clínica da Família Bibi Voguel, um grande encontro entre adolescentes, jovens e profissionais com a roda de conversa “Quem sou eu?”.

Na atividade, os jovens fizeram uma reflexão conjunta, abordando assuntos relacionados à promoção da saúde e ao bem estar psicossocial. Puderam, ainda, falar sobre si e tirar dúvidas com os profissionais a respeito de diversos assuntos.

Além de disseminar informações que estimulam o autocuidado em saúde e comportamentos protetivos, o RAP tem o importante papel de acolher os jovens da comunidade. Por isso, encontros como esse se fazem tão necessários. Trocando de jovem para jovem, os participantes do RAP ficam mais preparados para compreender e ajudar aqueles que chegam nas unidades de saúde, até porque a juventude se entende.

Matheus de Souza, Pedro Henrique, Natália Honório, Paula Prates, Ana Carolina e Fabiano Marques foram os jovens do RAP os responsáveis pela condução da atividade, juntamente com os acolhedores.

quem sou eu2

Valorização da paternidade é ouro

31 ago

paternidade

Agosto de 2016 foi o mês das Olimpíadas. Mas é também o mês do Dia dos Pais e comemorado o Mês de Valorização da Paternidade, com o objetivo de sensibilizar a sociedade e os profissionais de saúde para a importância da função paterna na criação da criança e para os cuidados e prevenções relativos à saúde do homem.

Em clima de vitória olímpica, a campanha deste ano ganhou medalha de ouro, envolvendo profissionais de saúde e usuários da rede da Atenção Primária em diversas ações. Foram debates, rodas de conversa, exibição de vídeos educativos, espaços de diálogo e muito mais.

Veja algumas ações realizadas e se inspire para o próximo ano:

CAP 2.2 – Grande Tijuca

CMS PROFESSOR JULIO BARBOSA – salas de espera no turno da manhã e da tarde com debates afim de reforçar as orientações durante as visitas domiciliares dos agentes de saúde. A unidade intensificou as ações de saúde junto aos homens e estimulou o pré-natal “paterno”, convidando os pais a estarem presentes durante as consultas de pré-natal.

CF RECANTO DO TROVADOR – salas de espera e sorteio da foto da campanha articulada pela unidade: “Não Basta ser pai, tem que participar.”

CMS NICOLA ALBANO – atividades teatrais para divulgação da importância da paternidade, parabenizando os homens que são pais presentes.

CMS CASA BRANCA – grupo de puericultura (conjunto de noções e técnicas voltadas para o cuidado médico, higiênico, nutricional, psicológico de crianças pequenas) com a presença dos pais, convidados pela equipe para discutir a temática da importância da participação do companheiro em todos os momentos, durante o pré natal, nascimento e crescimento dos filhos.

CMS CARLOS FIGUEIREDO FILHO – entrega de “certificados” para os pais que estiverem acompanhando o pré natal de suas esposas.

CF PEDRO ERNESTO, CMS MARIA AUGUSTA ESTRELLA, CMS HELIO PELLEGRINO e CMS HEITOR BELTRÃO – salas de espera sobre paternidade, com exibição de vídeos educativos.

CAP 5.2 – Campo Grande

CF JOSÉ DE PAULA LOPES PONTES – evento sobre a importância do aleitamento Materno com as gestantes e a importância do companheiro neste momento.

CMS MANOEL DE ABREU – café da manhã com gestantes e pais, com apresentação de vídeo, avaliação bucal, orientação sobre alimentação saudável e atividade física e entrega de material educativo.

CF AGENOR DE MIRANDA ARAÚJO – grupo de gestantes e nutrizes, com palestra de uma nutricionista, bazar com roupas de bebê, sorteio de brindes, bolo de fraldas e orientação de saúde bucal. Os pais poderão participar das mesmas atividades e receberão diplomas pelo dia dos pais.

CF DALMIR DE ABREU SALGADO – abordagem do tema paternidade nas falas do acolhimento pelos agentes de saúde.

CMS MARIO RODRIGUES CID – oficina com gestantes e suas famílias, a fim de preparar mamães e papais para os cuidados com o bebê.

CF DAVID CAPISTRANO FILHO – orientação em um grupo de gestantes com a participação dos pais, com o objetivo de ampliar a reflexão sobre a importância do cuidado dos homens com as crianças pequenas e suas implicações na família, além de fortalecer a rede de apoio à pauta da ampliação da licença paternidade, promover o intercâmbio de experiências sobre ser pai e identificar vivências conhecimentos, comportamentos e sentimentos paternos no processo da amamentação.

CMS EDGARD MAGALHÃES GOMES – “Hora do Mamaço”, onde serão abordados todos os benefícios da amamentação e a importância da participação paterna no cuidado, crescimento e desenvolvimento do bebê.

CF HANS JURGEN FERNANDO DOHMANN – palestra para os pais e gestantes sobre a Paternidade e Amamentação, ministrada pelas enfermeiras da unidade.

CF ANTONIO GONÇALVES VILLA SOBRINHO – grupo de tabagismo com foco nos pais que fumam e as consequências para os filhos; grupo de puericultura focado na importância do pai como incentivador e apoiador na evolução e desenvolvimento infantil e grupo de saúde bucal, focado na orientação aos pais. Salas de espera com temática sobre a saúde do homem.

CMS VILA DO CÉU – encontro de pais, gestantes e puérperas em encontro com troca de experiências sobre “Na modalidade Aleitamento Materno somos Medalha de Ouro”

CF LECY RANQUINE – atividade com gestantes, puérperas e pais com o tema da valorização da paternidade e amamentação, além de apresentação produzida pelos funcionários demonstrando o cotidiano dos pais no cuidado do bebê.

CMS RAUL BARROSO – lanche com pais e gestantes, além da promoção das Salas de Espera para os pacientes e ações na Academia Carioca, com orientações sobre Amamentação e Valorização da Paternidade.

CMS WOODROW PIMENTEL PANTOJA – atividades lúdicas com orientações sobre a importância do aleitamento materno e da presença paterna no período puerperal, fortalecendo a presença dos pais nas consultas de pré-natal. Roda de conversa com grupo de gestantes e equipe multidisciplinar da Unidade de Saúde (odonto, nutricionista, enfermeiro e técnicos em enfermagem).

CMS PEDRO NAVA – orientações sobra importância da presença do pai nas consultas de pré-natal, acolhimento, puericultura. Uso da sala de vacinação para o estímulo da presença paterna na saúde do bebê.

CMS OSWALDO VILLELA – evento de valorização da paternidade e semana da amamentação, utilizando sala de espera com vídeos, café da manhã, dinâmicas, alongamento e distribuição de folder educativo.

CF EVERTON DE SOUZA SANTOS – planejamento familiar com abordagem da valorização da paternidade. Sala de espera abordando o assunto da paternidade no acolhimento da unidade.

CMS ADÃO PEREIRA NUNES – evento educativo sobre amamentação e palestras voltadas para os homens sobre paternidade no Centro de Cultura e Ideias.paternidade

AMAMENTA PAVUNA

30 ago

O ato de amamentar envolve toda a família e o leite materno é o único alimento que o bebê precisa até os 6 meses de vida. Ficou surpreso com as informações, ou você já sabia?

Pois, então. Foi isso e muito mais que a Clínica da Família Epitácio Soares Reis, certificada como Unidade Básica Amiga da Amamentação (IUBAAM), apresentou na atividade “Amamenta Pavuna”, em comemoração à Semana do Aleitamento Materno, celebrada entre os dias 1 e 7 de agosto.

amamenta pavuna 3

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o leite materno é o alimento mais completo para o bebê, pois nele estão contidas todas as proteínas, vitaminas, gorduras e substâncias necessários nessa fase da vida.

Ainda para a OMS, o recomendado é que a amamentação vá até os dois anos ou até quando a mulher não produzir mais leite, sabendo que, nesse caso, o apoio da rede da mãe (o pai da criança, a família e a unidade de saúde) são fundamentais, pois quanto mais estímulo a mamãe receber, por mais tempo ela será capaz de produzir leite.

Para abrir os trabalhos no evento “Amamenta Pavuna”, que abordou o tema de forma lúdica e criativa, Residentes da Residência Multiprofissional em Saúde da Família, adolescentes do RAP da Saúde da CAP 3.3 e de profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) fizeram a apresentação de uma paródia musical sobre aleitamento materno.

amamenta pavuna 1

Na Tenda da Amamentação, jovens do RAP da Saúde divulgaram para as famílias informações sobre os custos desnecessários relacionados à alimentação artificial, uma vez que o leite materno é um alimento completo.

Além de mostrar os benefícios da amamentação e do leite materno, a Tenda ofereceu aos homens a oportunidade de sentirem na pele a sensação de estarem grávidos e de amamentar, por meio de atividades lúdicas.

A Atenção Básica apoia essa iniciativa e incentiva o aleitamento materno, focando na família como um todo, sobretudo na valorização da paternidade, acentuando quão importante é a participação de toda uma rede nos primeiros anos de vida do bebê. O papel desempenhado pelo RAP da Saúde é fundamental nesse sentido, tendo em vista o alto número de pais e mães adolescentes e jovens que necessitam desse tipo de orientação.

Sífilis congênita: o que o pai tem a ver?

29 ago

sífilis congenita1

Uma cegonha mandou notícia e você acabou de descobriu que vai ser pai? Parabéns! Provavelmente uma série de novas sensações, pensamentos e dúvidas estão passando por você. Mas, não se assuste, é isso mesmo.

Para esse momento, acompanhar sua parceira no pré-natal, fazer os exames corretamente e se comprometer com os tratamentos, quando for preciso, faz toda a diferença. Os profissionais das Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde estão preparados para te ajudar nisso.

Infecções como a sífilis, por exemplo, merecem muita atenção, pois a mãe pode passar para o filho durante a gestação ou o parto, o que pode levar a consequências graves, como aborto espontâneo, parto prematuro, má formação do feto, surdez, cegueira, alterações mentais, ósseas, cardiovasculares e até mesmo morte ao nascer.

Mas, a sífilis tem cura e é possível reverter! E você, pai, tem tudo a ver com isso.

Se a mulher for diagnosticada com sífilis durante o pré-natal, as consequências para o bebê podem ser evitadas mais facilmente. Por isso, é muito importante que você e sua parceira busquem uma Unidade de Atenção Primária para fazer os exames logo no início da gravidez.

Durante o tratamento, o seu compromisso como pai é fundamental. Se somente a gestante fizer o tratamento e as relações sexuais desprotegidas continuarem, a mãe será reinfectada e as chances da transmissão vertical crescerão consideravelmente. Fazer o tratamento completo junto com sua parceira e prevenir uma nova infecção é a única forma de proteger o seu bebê.

Por isso, não se esqueça: se sua parceira está grávida, acompanhe os exames, dê apoio, faça o tratamento necessário. Pai bom é pai que cuida e se cuida.

Atenção de todos!

Homem, mulher, grávida ou não, todos devem ficar atentos.
 Nesta lista você pode conhecer os sinais e sintomas dos diferentes estágios da sífilis:

Sífilis primária – Ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca ou outros locais da pele), que aparece entre 10 e 90 dias após o contágio. Não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha.

Sífilis secundária – Os sinais e sintomas surgem no intervalo de seis semanas a seis meses do aparecimento da ferida inicial, após a cicatrização espontânea. Podem surgir manchas no corpo, principalmente nas palmas das mãos e plantas dos pés, e ínguas (não coçam).

Sífilis latente – É a fase assintomática, sem sinais ou sintomas. Tem duas fases: a sífilis latente recente, com menos de um ano de infecção, e a sífilis latente tardia, com mais de um ano de infecção. A duração é variável, podendo ser interrompida pelo surgimento de sinais e sintomas da forma secundária ou terciária.

Sífilis terciária – Pode surgir de dois a 40 anos depois do início da infecção. Costuma apresentar sinais e sintomas, principalmente lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.

A Sífilis em algumas de suas fases pode não ter sinais visíveis, por isso, procure periodicamente a sua equipe de saúde e peça para fazer um teste rápido. O diagnóstico e o tratamento são simples e assim você estará cuidando de você e da sua família.