Archive | Rap da Saúde RSS feed for this section

PREVENÇÃO DAS DST, ZIKA E HEPATITES VIRAIS: BRT ALVORADA RECEBE AÇÃO EDUCATIVA DO RAP DA SAÚDE E PROFISSIONAIS DA CAP 4.0

15 ago
RAP da Saúde CAP 4.0 e profissional

RAP da Saúde CAP 4.0 e profissionais

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 estão acontecendo em diversas regiões da Cidade do Rio de Janeiro; e como era de se esperar, há uma grande circulação de pessoas pelo município; trazendo a necessidade de se intensificar ações educativas relacionadas a prevenção, visto que as DST tendem a se disseminar pela localidade nessas ocasiões.

Abordagem educativa BRT Alvorada

Abordagem educativa BRT Alvorada

Os adolescentes e jovens do RAP da Saúde da Clínica da Família Otto Alves de Carvalho e a CAP 4.0, juntamente com o profissional Celso Vieira, estão empenhados na prevenção às DST e realizaram dia 11/08, no BRT Alvorada, ação educativa com distribuição de preservativos e abordagem lúdica de passageiros, com entrega de material educativo, para esclarecer à respeito das DST, Zika e hepatites virais.

RAP da Saúde e profissionais CAP 4.0

RAP da Saúde, profissional CAP 4.0 e passageiro BRT

Uma importante iniciativa que visa trazer mais qualidade de vida para a população e reduzir danos causados por essas doença. Cariocas e turistas saudáveis é sinônimo de um mega evento medalha de ouro e bom para todos.

Profissional apoiador do RAP da Saúde Celso Vieira e a gerente de hepatites virais Márcia Zatar

Profissional apoiador do RAP da Saúde CAP 4.0 Celso Vieira e a gerente do Programa de Hepatites Virais da SMS Márcia Zattar

Equipe Elos da Saúde

“CHAMA GERAL E BROTA!”: RAP DA SAÚDE PROMOVE RODA DE CONVERSA SOBRE DST E AIDS NA CLÍNICA DA FAMÍLIA ZILDA ARNS

11 ago
Convite Roda de Conversa da Juventude

Convite Roda de Conversa da Juventude CAP 3.1

“Tem muita gente que ainda acha que as pessoas se arriscam em algumas situações por conta da falta de informação. Daí acham que, para se desenvolver ações de prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis e HIV/aids, bastaria informar adolescentes e jovens sobre quais são os riscos e quais as formas de se protegerem dessas doenças.”

Jovens RAP da Saúde CAP 3.1

Jovens RAP da Saúde CAP 3.1 Roda de Conversa no Cond. das Palmeiras

“A informação é muito importante, é claro, mas por si só não garante que uma pessoa, seja ela de que idade for, se comporte dessa ou daquela maneira. Também há aqueles(as) que acham que a melhor forma de trabalhar a prevenção é fazendo terrorismo. Quem já viu aquelas imagens de pênis e vaginas totalmente destruídas pelas DST sabe que elas causam mais repulsa do que mudanças de comportamento.”

RAP da Saúde CAP 3.1 e profissionais da C.F. Zilda Arns na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

RAP da Saúde CAP 3.1 profissionais da C.F. Zilda Arns e adolescentes e jovens na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

“A experiência brasileira mostra que existem vários caminhos para se desenvolver ações eficientes, passando por propostas de oficinas, cenas e brincadeiras. Mostra, também, que mais importante do que isso é a postura das pessoas que conduzem as ações de modo a facilitar que adolescentes e jovens se apropriem dos conteúdos e de práticas sexuais mais seguras.”

RAP da Saúde CAP 3.1 e profissionais da C.F. Zilda Arns na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

RAP da Saúde CAP 3.1 profissionais da C.F. Zilda Arns e adolescentes e jovens na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

“Mostra, ainda, que o estigma e a discriminação são processos de desvalorização, produzindo e reforçando iniquidades sociais já existentes, tais como aquelas relacionadas a raça, classe, gênero e orientação sexual. Viver livre do estigma e de qualquer tipo de discriminação é um direito humano básico e que deve ser respeitado. Viver com o HIV não pode e não deve ser motivo para desrespeitar esse direito.”

IMG_2831

RAP da Saúde CAP 3.1 profissionais da C.F. Zilda Arns e adolescentes e jovens na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

O RAP da Saúde assume um papel fundamental na sensibilização e mobilização desses adolescentes e jovens, pois se vale do protagonismo juvenil e da educação entre pares para alcançar essa parcela da população; onde a transmissão do HIV e das DSTs se mostra cada vez mais em crescimento. O jovem falando para o jovem em uma linguagem mais próxima dessa faixa etária, mas não menos didática, informativa; exposta de diversas maneiras possíveis e interessantes.

RAP da Saúde CAP 3.1 profissionais da C.F. Zilda Arns e adolescentes e jovens na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

RAP da Saúde CAP 3.1 profissionais da C.F. Zilda Arns e adolescentes e jovens na Roda de Conversa sobre DST e AIDS no Cond. das Palmeiras

A Clínica da Família Zilda Arns, no Complexo do Alemão; e o RAP da Saúde da CAP 3.1 entendem essas questões e convidam adolescentes e jovens para a Roda de Conversa da Juventude, uma iniciativa que tem como objetivo trazer esses jovens para a unidade de saúde para dialogarem com profissionais e integrantes do RAP sobre DST e aids: características, formas de transmissão, sexualidade e o comportamento da juventude na atualidade. A atividade acontecerá dia 24 de agosto às 14 h, no auditório da unidade de saúde.

“Vai ser irado, chama geral e brota!”

Equipe Elos da Saúde

EXPOSIÇÃO “TODA CASA TEM QUE TER CARINHO”: RAP DA SAÚDE DA CAP 5.3 APOIA A REDE “NÃO BATA, EDUQUE” NA CLÍNICA DA FAMÍLIA WALDEMAR BERARDINELLI

9 ago
Banner da exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Banner da exposição “Toda casa tem que ter carinho”

“Em 2003, Maria do Rosário, ex ministra da Secretaria de Direitos Humanos, apresentou o Projeto de Lei 2.645, que dispõe sobre a alteração do ECA “estabelecendo o direito da criança e do adolescente a não serem submetidos a qualquer forma de punição corporal, mediante a adoção de castigos moderados ou imoderados, sob a alegação de quaisquer propósitos, ainda que pedagógicos”. Dois anos depois, em 2005, o Instituto Pro-mundo, a Fundação Abrinq – Save the Children, a Fundação Xuxa Meneghel, a Frente Parlamentar Mista de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e a agência Comunicarte se reuniram com a ONG Save the Children Suécia, para apoiar a tramitação e a aprovação deste Projeto. Esse encontro se tornou a primeira articulação que resultaria na formação da Rede Não Bata, Eduque.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

“A Rede atua pela conscientização de que crianças devem ser formadas a salvo de castigos corporais. Entre seus objetivos, destacam-se: influenciar a opinião pública por meio de campanhas permanentes e programas direcionados a pais e cuidadores, com foco na educação não violenta infantil baseada no diálogo, na compreensão e no afeto; atualizar o marco jurídico brasileiro aos marcos legais internacionais para a proibição dos castigos físicos e tratamento humilhante de crianças e adolescentes; influenciar a elaboração de políticas públicas e normas legais que protejam integralmente os direitos de crianças e adolescentes; promover a participação de crianças e adolescentes nas ações da Rede; chamar a atenção de órgãos governamentais para a necessidade de criar ou melhorar as bases formais e informais de apoio às famílias de modo que possam exercer com qualidade a educação e cuidados de seus filhos.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

A Clínica da Família Waldemar Berardinelli, em parceria com a Fundação Xuxa Meneghel, receberá de 09 à 26 de agosto, na unidade de saúde, a exposição “Toda casa tem que ter carinho”, resultado do Concurso Nacional “Não Bata, Eduque”, de 2015, que selecionou desenhos, falas, vídeos e fotografias produzidos por crianças e jovens com idades entre 06 e 29 anos. Os trabalhos revelam o olhar de meninos, meninas e jovens sobre um tema que lhes afeta diretamente. O RAP de Saúde da CAP 5.3 realizará durante a semana uma visita guiada a exposição e participará de diversas ações, visto que a temática está amplamente inserida no dia-a-dia desses adolescentes e jovens; trazendo para eles uma importante base para o diálogo entre pares e atividades que possam vir a praticar durante a realização do Curso de Adolescentes e Jovens Promotores da Saúde.

Adolescentes e jovens RAP da Saúde CAP 5.3 e profissional da Fundação Xuxa Meneghel durante montagem da exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Adolescentes e jovens RAP da Saúde CAP 5.3 e profissional da Fundação Xuxa Meneghel durante montagem da exposição “Toda casa tem que ter carinho”

Para Joanne de Mattos, Gerente da Clínica da Família Waldemar Berardinelli: “Essa temática é muito relevante para a saúde porque assistimos a população para que tenham completo bem estar físico, mental e social. A exposição no ambiente de Saúde visa conscientizarmos os usuários sobre a importância das relações saudáveis e agrega valor ao trabalho dos profissionais de saúde, com a mensagem deixada e beleza visual.”

Exposição "Toda casa tem que ter carinho"

Exposição “Toda casa tem que ter carinho”

Segundo a Assistente Social da Clínica da Família Waldemar Berardinelli, Patrícia Campos: “A exposição foi montada com a participação do RAP da Saúde e a programação das rodas de conversa foi feita com a participação dos jovens do Projeto e do NASF da unidade. Avalio que a chegada da exposição na unidade de Saúde será um momento muito importante para aprofundarmos o debate acerca deste tema que muitas vezes ainda é pouco discutido no cotidiano da Saúde . Penso que a partir das construções artísticas destas crianças poderemos alcançar e abordar de forma diferente os diversos públicos que frequentam a nossa unidade de saúde, possibilitando e facilitando o debate não só com o público atendido, mas também com os profissionais de saúde, daí nossa preocupação em incluir os ACS nesta roda. A discussão e a problematização de outras formas de cuidado, que não seja através da violência, precisa ser um tema cotidiano para nós profissionais de saúde, pois muitas vezes ouvimos relatos de usuários e também de profissionais sobre as suas dificuldades em enfrentar ou lidar com estas questões.”

Estão programadas rodas de conversa nos seguintes dias:

15/8 – Idosos e participantes da Academia Carioca.
17/8 – Agentes Comunitários de Saúde.
24/8 – Adolescentes gestantes.
15/8 – As crianças que são atendidas pela psicóloga do NASF farão um visita guiada e após está visita farão uma atividade específica voltada para esta questão da violência.
Ao longo da exposição acontecerão intervenções como sala de espera e visitas guiadas.
As rodas serão executadas pelo RAP da Saúde.

Equipe Elos da Saúde

Semana Mundial do Aleitamento Materno – Um ato de amor sem hora e nem lugar!

2 ago

Toda primeira semana de agosto acontece a Semana Mundial do Aleitamento Materno desde 1992. É importante saber que o ato de amamentar é fundamental e o único alimento que o bebê precisa até os 6 meses de vida. Você sabia que mesmo água não é necessário para o neném até essa idade? Outros alimentos devem  ser apresentados à criança depois dos seis meses, mas sempre acompanhado por um profissional de saúde.

Ação Semana Mundial da Amamentação

Mamaço 2016 ! Semana Mundial da Amamentação CAP 5.1

O ideal é que a amamentação vá até os dois anos ou quando a mulher não produzir mais leite, sabendo que ainda assim é importante o apoio da rede da mãe: o pai da criança, a família e a unidade de saúde. Pois, quanto mais estímulo a mamãe receber, por mais tempo ela será capaz de produzir leite.

Profissional orientando incentivando mãe a amamentar CF Cazuza CAP 5.2

Profissional orientando e incentivando mãe a amamentar CF Cazuza CAP 5.2

No ano passado foi aprovada uma lei que multa estabelecimentos que proíbam as mães de amamentarem seus filhos, mesmo que ofereçam espaço exclusivo para isso (porque na verdade deve ser em qualquer lugar). Mas essa não é a única! No mesmo mês, foi aprovada uma lei que permite aos bebês serem amamentados em qualquer lugar da cidade do Rio.

A Secretaria Municipal de Saúde promove diversas atividades para marcar a semana nas unidades de saúde. Os eventos têm o objetivo de chamar atenção sobre a importância da amamentação na saúde da mãe e do bebê. O período também reitera a importância da doação para os bancos de leite humano.

A semana começou com um grande mamaço olímpico, um ato simbólico que reuniu mulheres amamentando seus filhos simultaneamente, reforçando a importância do leite materno para o desenvolvimento infantil; e teve como um dos principais objetivos combater o preconceito em relação a amamentação em público. A ação aconteceu domingo, dia 31, às 9h, na Praça Mauá, no Centro do Rio e o tema deste ano é “Aleitamento Materno: presente saudável, futuro sustentável”. A programação é marcada também por várias atividades nas unidades de saúde de todas as regiões da cidade, com atividades teatrais, dinâmicas de grupo, rodas de conversa e palestras, além de salas de espera e encontros sobre aleitamento. Confira a programação completa  no site www.rio.rj.gov.br/web/sms.

As unidades CMS Athayde José da Fonseca, CMS Catiri e Clínica da Família Rosino Baccarini deram início ontem, dia 01/08, no Polo Cultural e Comercial do Jardim Bangu, as comemorações da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) das 3 unidades. Foram feitas palestras sobre aleitamento e doação de leite materno, ginástica para as gestantes e mães com bebês com a professora das 3 unidades Michelle Henud, paródia sobre amamentação com a equipe do RAP da Saúde do CMS Athayde, sorteio de brindes, brincadeiras, doação de leite materno, mesa de café da manhã e muito mais…

RAP da Saúde CAP 5.1 Athayde José da Fonseca

RAP da Saúde CAP 5.1 CMS Athayde José da Fonseca

A Secretaria Municipal de Saúde conta com onze postos de recebimento de leite humano (Hospital Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, Maternidade do Hospital Municipal Albert Schweitzer, Hospital da Mulher Mariska Ribeiro, CF Santa Marta, CF Aloysio Augusto Novis, CF Augusto Boal, CMS Hélio Smith, CMS Sylvio Brauner, CMS Flávio Couto, CF Ana Maria da Conceição dos Santos Correa (IPASE) e CF Antônio Gonçalves), além de seis bancos de leite, nas maternidades Fernando Magalhães, Carmela Dutra, Herculano Pinheiro, Leila Diniz, Alexander Fleming e Rocha Faria.

RAP da Saúde CAP 5.1 CMS Athayde José da Fonseca

RAP da Saúde CAP 5.1 CMS Athayde José da Fonseca

O encerramento da Semana Mundial do Aleitamento Materno será na Segunda Caminhada do Aleitamento Materno, em Vigário Geral. A concentração será às 8h, no Centro Municipal de Saúde Nagib Jorge Farah, no Jardim América, e nas clínicas da família Iraci Lopes, em Vigário Geral, e Joãosinho Trinta, na Praça José da Matta. A caminhada partirá das unidades de saúde para a Rua Isidro Rocha, na Praça 2, em Vigário Geral. No local, estão previstas diversas ações, como apresentações de teatro, atividades com o Programa Academia Carioca e palestras sobre amamentação, além da divulgação do Posto de Recebimento de Leite Humano das unidades.

 

Equipe Elos da Saúde