Tag Archives: saúde da mulher

28 DE MAIO: filhos precisam de mãe!

28 mai

filhos precisam da mãeNoventa por cento das mortes de mulheres grávidas poderiam ser evitadas com atendimento adequado. O dado do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) é o mote para a mobilização pelos direitos das mulheres e pela redução da morte materna, todo dia 28 de maio. A campanha mundial tem o objetivo de sensibilizar a sociedade para o tema e chamar a atenção para a importância de investir mais e melhor no enfrentamento da mortalidade materna. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o termo “morte materna” define a morte de uma mulher durante a gestação, independentemente de sua duração, ou até 42 dias após o seu término, em virtude de qualquer causa relacionada ou agravada pela gravidez.

Diante deste quadro, nos últimos anos, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio) vem promovendo esforços para reduzir a mortalidade materna, por meio da Estratégia Saúde da Família. Dentre as principais ações estão o incremento e a qualificação dos processos de investigação e análise dos óbitos em mulheres em idade fértil; a qualificação do atendimento pré-natal e o rastreio com diagnóstico precoce da sífilis na gestação; e o programa Cegonha Carioca.

Iniciativa pioneira no Brasil, o Cegonha Carioca promove a humanização do cuidado com a mãe e com o bebê desde o pré-natal até o parto, com o objetivo de reduzir a mortalidade materno-infantil. Lançado em 2011 e implantado inicialmente na Rocinha e na área de Santa Cruz, Paciência e Sepetiba, hoje o programa contempla toda a cidade. Saiba mais sobre o programa Cegonha Carioca.

gestanteE, para marcar o Dia Nacional de Redução da Morte Materna, lembrado nesta quarta-feira, 28, a SMS-Rio promove a mobilização Filhos precisam de mãe – parto e nascimento são momentos de celebração da vida, na Clínica da Família Souza Marques e no Centro Municipal de Saúde Alberto Borghet, em Madureira. Durante a ação, que acontece de 11h às 15h, profissionais de saúde e parceiros da sociedade civil vão realizar intervenções com profissionais e usuários da unidade. O evento contará, também, com a presença da atriz Lica de Oliveira. O objetivo é ampliar a conscientização sobre o tema e incentivar a promoção de ações efetivas para o enfrentamento do problema, sensibilizando o profissional de saúde sobre a importância de seu envolvimento nestas ações. Baixe o folder da campanha e participe!

Mortalidade materna desafia Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

As ações para promoção e proteção da saúde da mulher não estão sendo desenvolvidas de forma efetiva, em todo o mundo. A conclusão é da Organização das Nações Unidas (ONU), que no início de maio divulgou os resultados da pesquisa Estimativas das Tendências de Mortalidade Materna 1990-2013. O estudo aponta que o índice global de morte materna foi reduzido em 45% entre 1990 e 2013. No entanto, a ONU alerta que isso não é suficiente: segundo a entidade, a maioria dos países não conseguirá cumprir a quinta meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que estabelece a redução deste tipo de morte em 75%, até 2015.

O relatório chama atenção para um problema grave: em todo o mundo, cerca de 800 mulheres morrem diariamente devido a complicações na gravidez ou no parto. Para a ONU, esta realidade é resultado do pouco investimento e comprometimento de governos e organismos internacionais com o enfrentamento do problema.

“Intervenções relativamente simples e bem conhecidas , como os serviços de obstetrícia e de prevenção e resposta da violência de gênero, podem fazer uma enorme diferença se forem ampliadas e articuladas com investimentos em inovações, especialmente na área de contraceptivos”, declarou a diretora executiva adjunta do UNFPA, Kate Gilmore, durante a divulgação do relatório.

Diante deste quadro, o UNFPA recomenda que os sistemas nacionais de saúde sejam fortalecidos com instalações de qualidade e pessoal capacitado e que equipamentos e medicamentos estejam acessíveis a todas as mulheres. Além disso, a educação integral em sexualidade e os serviços de saúde sexual e reprodutiva devem ser disponibilizados para jovens.

Saiba mais:
Conheça o programa Cegonha Carioca
Baixe o folder da campanha Filhos precisam de mãe – parto e nascimento são momentos de celebração da vida
— Baixe o folder da UNFPA sobre a campanha pela redução da morte materna
— Siga a página Mobilização pelos Direitos das Mulheres e Redução da Morte Materna no Facebook e fique por dentro das novidades!

SUS OFERECE VACINA CONTRA HPV

10 mar

vacina-hpv

Nesta segunda-feira, 10 de março, tem início a primeira campanha de vacinação promovida pelo Ministério da Saúde contra o Papiloma Vírus Humano (HPV). Neste ano, a vacina será gratuitamente aplicada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em meninas de 11 a 13 anos de todo o Brasil. Em 2015, a aplicação se estenderá àquelas com idades de 9 a 11 anos. A vacina quadrivalente protege contra os sorotipos 6, 11, 16 e 18 do HPV – os dois últimos responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo. Assim, as meninas sem contato prévio com HPV que forem vacinadas antes iniciar a vida sexual terão mais chances de proteção contra lesões que podem provocar o câncer uterino. Segundo o Ministério da Saúde, a imunização induz melhor resposta nesta faixa etária, em comparação a jovens adultas.

Essa é a primeira vez que a população brasileira tem acesso gratuito a uma vacina que protege contra câncer. A meta é vacinar 80% do público, que atualmente soma 5,2 milhões de meninas. No estado do Rio de Janeiro a expectativa é de que sejam imunizadas 397 mil adolescentes. A importância da imunização está na prevenção contra o câncer de colo de útero, o terceiro tipo da doença que mais atinge as mulheres. De acoordo com o Ministério da Saúde, a eficácia da vacina contra a doença é de 98,8%.

hpv

Doses

Para receber a vacina contra o HPV, basta apresentar o cartão de vacinação ou documento de identificação. Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção, sendo que a segunda deve ter um intervalo de seis meses em relação à primeira dose, e a terceira, cinco anos após a primeira dose.

Tomar vacina contra o HPV não substitui o uso de camisinha nas relações sexuais. Além disso, é preciso manter as ações já adotadas para prevenir o câncer de colo do útero, como o exame Papanicolau.

Cada menina é de um jeito, mas todas precisam de proteção

O Ministério da Saúde preparou uma campanha informativa para orientar a população sobre a importância da prevenção contra o câncer do colo de útero. Com tema “Cada menina é de um jeito, mas todas precisam de proteção”, as peças convocam as meninas para se vacinar. Na campanha, as mulheres também são alertadas de que a prevenção do câncer de colo do útero deve ser permanente. As informações serão veiculadas por meio de cartazes, spot de rádio, filme para TV, anúncio em revistas, outdoors e campanhas na internet, especialmente nas redes sociais.

— Saiba mais sobre a vacinação contra o HPV
— Leia dez perguntas e respostas sobre a vacinação contra HPV

BIBLIOTECA: Método Canguru para recém-nascidos de baixo peso

26 nov

Introduzido em algumas unidades de saúde brasileiras na década de 1990, o Método Canguru é hoje uma política de saúde para promoção da segurança de recém-nascidos de baixo peso e redução da mortalidade infantil. Recém-nascidos de baixo peso são bebês com menos de dois quilos e meio, sem considerar a idade gestacional, que são mais vulneráveis a uma série de complicações. E é justamente no componente neonatal que reside o maior desafio para a redução da mortalidade infantil no Brasil. Por isso, o Ministério da Saúde reconhece o atendimento humanizado a esses bebês como um foco de ação prioritário, por meio de iniciativas como a implantação do Método Canguru nas unidades neonatais.

Método Canguru: atenção humanizada para o recém-nascido de baixo peso e para toda a família

Método Canguru: atenção humanizada para o recém-nascido de baixo peso

O Método Canguru é um modelo de assistência perinatal voltado para a melhoria da qualidade do cuidado, desenvolvido em três etapas. A partir do princípio da atenção humanizada, reduz o tempo de separação entre mãe e recém-nascido e faåvorece o vínculo entre os dois. Também permite o controle térmico adequado do bebê e contribui para a redução do risco de infecção hospitalar, além de reduzir o estresse e a dor do recém-nascido. Dessa forma, aumenta as taxas de aleitamento materno, melhora a qualidade do desenvolvimento neurocomportamental e psicoafetivo do bebê, propicia um melhor relacionamento da família com a equipe de saúde, possibilita maior competência e confiança dos pais no cuidado do seu filho, inclusive após a alta hospitalar, reduz o numero de reinternacões e contribui para a otimização dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva e de Cuidados Intermediários Neonatais.

Para fortalecer o Método Canguru no Brasil, a Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde publicou, em 2013, o guia Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso: Método Canguru – Manual Técnico. A publicação apresenta a Norma de Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso (Método Canguru) do Ministério da Saúde nos diferentes níveis de complexidade da atenção neonatal e busca habilitar profissionais na humanização dos cuidados hospitalares e ambulatoriais à gestante, à puérpera e ao recém-nascido de baixo peso.

O manual ressalta que, neste processo, é fundamental que o profissional de saúde esteja atento às peculiaridades físicas e psicológicas de cada caso, considerando as diferentes realidades das gestantes de alto risco, de seus companheiros e familiares, dos bebês pré-termo, de baixo peso ou em situação de risco, dentre outras. E identifica o psiquismo específico da gestação, superposto ao da puérpera, mãe de um bebê pré-termo, o funcionamento psíquico da figura paterna e a formação da parentalidade como aspectos importantes para a atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso e toda a sua família.

A publicação também recomenda o incentivo à família quanto ao cuidado adequado à gestante, à puérpera e ao bebê, em ambiente hospitalar e domiciliar. Para isso, são valiosas as orientações dos profissionais de saúde sobre os passos iniciais da lactação, as técnicas de alimentação auxiliares à amamentação, os procedimentos básicos de higienização pessoal e do bebê e o estabelecimento de vínculos entre os pais e seu filho. E, sobretudo, as formas de contato com o recém-nascido em cada fase do Método Canguru, com ênfase no contato pele a pele desde a UTI e na observação dos sinais de risco para o bebê nesta fase e para a mãe no pós-parto.

O manual está organizado em seis módulos:  “O Método Canguru no contexto das políticas de saúde”; “Aspectos psicoafetivos e comportamentais”; “Manejo nutricional do recém-nascido pré-termo”; “Cuidados com o recém-nascido de baixo peso no ambiente hospitalar”; “Cuidados com o recém-nascido de baixo peso após alta hospitalar”; e “Implantação do Método Canguru”.

Baixe o manual técnico Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso: Método Canguru
— Conheça os Centros de Referência Nacional para Método Canguru               

OUTUBRO ROSA: prevenção do câncer e promoção da saúde

3 out

Todos os anos, o mês de outubro se veste de rosa em alusão à prevenção do câncer de mama e à promoção da saúde das mulheres. A campanha Outubro Rosa, que teve início nos Estados Unidos, na década de 1990, chegou ao Brasil em 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com a cor rosa, seguindo a tradição norte-americana. De lá para cá, a adesão de diversas cidades vem fortalecendo o movimento a cada ano, na busca de conscientizar as mulheres sobre a importância da realização de exames para rastreamento e detecção precoce do câncer de mama. No Brasil, todos os anos monumentos emblemáticos como o Congresso Nacional e o Cristo Redentor são iluminados com a cor rosa, em alusão à campanha.

À esquerda, o Congresso Nacional, à direita, o Cristo Redentor, iluminados em alusão à campanha Outubro Rosa, para prevenção do câncer de mama

À esquerda, o Congresso Nacional, à direita, o Cristo Redentor, iluminados em alusão à campanha Outubro Rosa, para prevenção do câncer de mama

Como parte da campanha, nesta quarta-feira, 02 de outubro, profissionais de saúde da CAP 2.1 e jovens e adolescentes do RAP da Saúde promoveram uma ação para conscientização sobre o câncer de mama na estação do bondinho do Cosme Velho, onde milhares de pessoas circulam todos os dias para visitar o Cristo Redentor. Em uma tenda dedicada à promoção da saúde, distribuíram materiais educativos, como a cartilha Mais grave que o câncer de mama é a falta de informação, produzida pela Fundação Laço Rosa, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Os jovens e adolescentes do RAP da Saúde circularam pela estação do bondinho, pelo próprio trem e pelo Corcovado com o tradicional baleiro, que em vez de guloseimas traz informações valiosas sobre promoção da saúde. Conversando com as pessoas que visitavam o Cristo Redentor, os jovens e adolescentes promotores de saúde abordaram temas relacionados a prevenção do câncer de mama e do colo do útero, prevenção e cessação do tabagismo e promoção da alimentação saudável.

Assista ao vídeo do RAP da Saúde sobre a campanha Laço Rosa

Para divulgar os serviços de saúde e conscientizar as mulheres sobre a importância de realização do exame citopatológico, a equipe distribuiu fitas cor de rosa – símbolo da campanha. A partir dessa aproximação, os profissionais de saúde e jovens e adolescentes do RAP da Saúde começaram a conversar com as pessoas, tirar suas dúvidas e encaminhar as mulheres para as unidades de referência, especialmente para os centros municipais de saúde Dom Hélder Câmara e Manoel José Ferreira – onde profissionais de saúde estavam a postos para receber e acolher as mulheres que buscavam realizar o exame colpocitológico.

Informação e autocuidado

laço rosa“Mais grave que o câncer de mama é a falta de informação”. Este é o mote da cartilha sobre câncer de mama, prevenção e autocuidado produzida pela Fundação Laço Rosa, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. De forma clara e objetiva, com uma linguagem acessível, o guia traz informações sobre como praticar o autocuidado e o autoexame das mamas, além de dicas de prevenção: manter o peso dentro da faixa ideal, praticar exercícios físicos com regularidade, reduzir o consumo de álcool, não fumar, aumentar o consumo diário de frutas, legumes e verduras e reduzir o consumo de alimentos industrializados.

A cartilha explica, ainda, o fluxograma da Saúde na rede pública do Rio de Janeiro, ilustrando as etapas do autocuidado, com a população assintomática; do rastreamento, realizado por exames clínicos nas unidades básicas de saúde (nível primário);  do diagnóstico, por mamografia, ecografia e biópsia (nível secundário); e do tratamento, com cirurgia, radiografia ou quimioterapia (nível terciário).

Segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), o câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres, excluindo os tumores de pele não melanoma. Ter uma alimentação saudável, controlar o peso, praticar atividade física com regularidade, amamentar, beber pouco, não fumar são medidas que contribuem para a prevenção da doença.

Apesar de ser considerado um câncer de relativamente bom prognóstico, se diagnosticado e tratado oportunamente, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas no Brasil, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Por isso, a detecção precoce é o melhor caminho para o sucesso do tratamento.

No Brasil, as principais estratégias de rastreamento para o controle do câncer de mama são o exame clínico anual das mamas, a partir dos 40 anos, e a realização de mamografia a cada dois anos, para mulheres de 50 a 69 anos. Para mulheres de grupos populacionais considerados de risco elevado para câncer de mama, recomenda-se o exame clínico das mamas e a mamografia, anualmente, a partir dos 35 anos.

Estão neste grupo mulheres com história familiar de câncer de mama em parentes de primeiro grau antes dos 50 anos de idade; história familiar de câncer de mama bilateral ou de ovário em parentes de primeiro grau em qualquer idade; história familiar de câncer da mama masculina; ou mulheres com diagnóstico histopatológico de lesão mamária proliferativa com atipia ou neoplasia lobular in situ.

Saiba mais:
— Baixe a cartilha “Mais grave que o câncer de mama é a falta de informação”, produzida pela Fundação Laço Rosa, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro
— Acesse o site da Fundação Laço Rosa e saiba mais sobre a prevenção do câncer de mama e como participar da campanha
— Conheça os materiais da campanha do Ministério da Saúde
— “Mais qualidade para a mamografia”, reportagem da revista Rede Câncer, do INCA
— “O desafio feminino do câncer”, reportagem da revista Rede Câncer, do INCA

AGENDA DA PROMOÇÃO DA SAÚDE: Mês de Valorização da Paternidade 2013

26 jul

Mês de Valorização da Paternidade

Paternidade e Diversidade

Comemorado em agosto, o Mês de Valorização da Paternidade busca sensibilizar a sociedade para a importância da participação do pai no crescimento e desenvolvimento de seus filhos. Em 2013, o tema Paternidade e Diversidade propõe a reflexão sobre os diferentes modelos de pais – e paternidades – presentes nas famílias contemporâneas: pais adolescentes, idosos, casados, separados, solteiros, que  assumem de diferentes formas sua função de pai.  E, ao mesmo tempo, protagonizam papéis sociais tradicionalmente ocupados pelas mulheres.

 Em sua estreia, o programa Em Família,do Canal Saúde, abordou essa questão a partir da provocação “O que é família para você?”. A exibição do vídeo pode ser um ótimo ponto de partida para o debate sobre o tema.

“Seguindo o compromisso de respeitar e valorizar as diversidades e de promover a equidade, como os serviços de saúde e demais políticas públicas podem atuar para acolher, de forma integral, todas essas famílias? Como pais e homens podem estar mais presentes nas ações de cuidado? Essas são algumas das questões que vamos trabalhar ao longo de todo o mês de agosto”, aponta Viviane Manso Castello Branco, coordenadora do Comitê Vida, grupo de trabalho intersetorial coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, que promove a campanha.

Mês de Valorização da Paternidade“O envolvimento dos pais no  cuidado com seus filhos é um processo que contribui para a promoção da saúde e o bem estar de toda a família.  E isso vale para diferentes  modelos de família e paternidade.Por isso, o Plano Municipal de Saúde do Rio de Janeiro define como uma de suas metas a implantação da iniciativa Unidade de Saúde Parceria do Pai em toda a rede Saúde Presente”, informa Aline Bressan, superintendente de Promoção da Saúde da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

 O Mês de Valorização da Paternidade envolve unidades de saúde, escolas, universidades, complexos esportivos, comunidades e demais parceiros da promoção da saúde da cidade do Rio de Janeiro. A proposta é promover atividades, debates e reflexões sobre o papel e a efetiva participação dos pais na vida e no cuidado de seus filhos. Participe! Envie a programação de sua instituição para elosdasaude@gmail.com.

PROGRAMAÇÃO 2013: Paternidade e Diversidade

Lançamento do vídeo “O pai está”

postal da saúde: paternidadeEm 2013, a abertura do Mês de Valorização da Paternidade acontece dia 1º de agosto, quinta-feira, com o lançamento do vídeo “O pai está”, realizado pela Rede de Adolescentes e Jovens Promotores da Saúde (RAP da Saúde). Ficção mesclada com documentário, a obra mostra situações reais em que “o pai está”; em que o pai ocupa posições e protagoniza ações que tradicionalmente são consideradas como de responsabilidade exclusiva da mãe.

De forma bastante criativa, o vídeo abre o debate sobre o papel de pais e mães nas famílias contemporâneas. Após a exibição do filme, uma mesa-redonda discute o envolvimento de pais e homens nas ações de cuidado e sua inserção nos serviços de saúde, escolas e demais políticas sociais. Participam do bate-papo Marcos Diniz, do RAP da Saúde; Paulo César Mattos, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro; Maria Luiza Carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Luiz Fernando Moreira, da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer do Rio Janeiro; Maria das Dores Amaral, da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro  e Marco Aurélio Martins  do Instituto Promundo.

O evento acontece a partir das 14h, no auditório da Estação Otics Centro (Rua Evaristo da Veiga 16, 4º. Andar, na Cinelândia). Não é preciso fazer inscrição, para participar basta comparecer ao local do evento.

Futebol da paternidade
No sábado, 03 de agosto, o Complexo Esportivo da Rocinha recebe o II Torneio de Futsal pela Valorização da Paternidade! Os times, formados por profissionais de saúde e pais que frequentam as unidades municipais de saúde da Zona Sul (Área Programática 2.1), foram treinados durante todo o mês de julho pelas equipes da Academia Carioca da Saúde. Além do troféu para a equipe vencedora, os jogadores vão disputar os títulos de artilheiro, “bola cheia” e “bola murcha”. A torcida mais animada também ganhará prêmios! A atividade começa às 9h e o Complexo Esportivo da Rocinha fica na Rua Berta Lutz, 85, próximo à passarela.

toró de palpitesRoda de conversa em Thomaz Coelho
Na quarta-feira, dia 7 de agosto, a Clínica da Família Herbert José de Souza, em Tomaz Coelho, promove roda de conversa sobre paternidade consciente com os homens que frequentam a unidade de saúde, às 14h. A atividade vai abordar temas como o cuidado com o corpo, a prevenção e a promoção da saúde. Ao final do bate-papo, serão sorteados um kit masculino de produtos higiênicos e cinco Vales Beleza, que poderão ser trocados na Barbearia do Francisco, na própria comunidade. A Clínica da Família Herbert José de Souza, que é uma Unidade de Saúde Parceira do Pai, fica na avenida Pastor Martin Luther King Jr, 4776,em Tomaz Coelho. Para participar, basta comparecer à unidade.

Instituto PromundoValorização da paternidade em Sulacap
Certificado como Unidade de Saúde Parceira do Pai, o Centro Municipal de Saúde Professor Masao Goto, em Sulacap, participa ativamente do Mês de Valorização da Paternidade. Este ano não poderia ser diferente. A unidade de saúde aposta em uma decoração especial para sensibilizar usuários e funcionários em torno do tema da paternidade. Painéis alusivos à saúde do homem e ao conceito de pai presente alegram as paredes, ao lado de banners com fotos de pais e filhos que frequentam o espaço. O acervo também conta a exposição de fotos da coleção “Eu sou Pai”, do Instituto Promundo, no chamado “corredor da afetividade paterna”.

  • 10 de agosto, sábado, de 9h ao meio-dia:  Festa de Dia dos Pais, com as oficinas “Colorindo o nosso dia a dia”; “Brincando juntos”; e “Pai também amamenta”.
  • 12 de agosto, segunda-feira, de 8h às 13h30: Roda de conversa “Homem e os cuidados com a saúde”, com profissionais da Academia Carioca de Saúde.
  • 16 de agosto, sexta-feira, a partir das 14h: Festa de aniversário de 26 anos do CMS Professor Masao Goto, com um debate sobre a importância do autocuidado para a saúde do homem.

I Seminário Nacional Paternidade e Cuidado na Rede SUS

logo Unidade de Saude Parceira do PaiAo final do mês, entre os dias 21 e 23 de agosto, a cidade do Rio de Janeiro recebe o I Seminário Nacional Paternidade e Cuidado na Rede SUS, fruto de uma parceria entre Coordenação de Saúde do Homem do Ministério da Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, o Comitê Vida e o Instituto Promundo. A programação está organizada em torno de três painéis temáticos: Paternidade e serviços de saúde; Por que envolver os homens nas ações de cuidado?; e Paternidade e diversidade.

O evento também será oportunidade para apresentação de experiências exitosas do Sistema Único de Saúde (SUS) no contexto da valorização da paternidade. Dentre elas, estão as Unidades de Saúde Parceiras do Pai, certificadas em 2012. A mostra cultural ficará por conta do RAP da Saúde e das exposições fotográficas “Você é meu pai”, do Instituto Promundo, e “Um mundo de pais”, de José Inácio Parente.

E mais: Ao longo de todo o mês de agosto, unidades de saúde, escolas e demais parceiros da promoção da saúde e da valorização da paternidade promovem diversas atividades. A programação será constantemente atualizada. Para incluir as ações de sua instituição, entre em contato pelo email elosdasaude@gmail.com.

— Saiba mais sobre o Mês de Valorização da Paternidade
— Acesse nossa biblioteca sobre paternidade
— Consulte também nossa videoteca sobre paternidade
— Curta a página do Mês de Valorização da Paternidade no Facebook e fique por dentro das novidades
— Relembre: V Simpósio Paternidade, Singularidades e Políticas Públicas: 10 Anos Valorizando a Paternidade (2012)
— Veja também: Café com Ideias debate namoro saudável e valorização da paternidade

TABAGISMO: indústria do tabaco investe cada vez mais em mulheres

28 mai

mulher-fumando-cigarro-cancer-mama-size-598Quem é a mulher do século 21? Independente, chefe de família, líder no mercado de trabalho e… alvo da indústria tabagista. Reflexo da mudança do papel da mulher na sociedade – e do aumento de seu poder aquisitivo – o crescimento do tabagismo feminino traz uma nova preocupação para a saúde pública. Ao ocupar o lugar tradicionalmente destinado ao homem, as mulheres passaram a assumir também alguns hábitos antes considerados masculinos. Começaram a beber mais, a fumar mais – e estão abandonando o tabagismo depois deles.

Estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) apontam que, nos últimos 20 anos, a redução do tabagismo tem sido menor entre as mulheres do que entre os homens. Para intensificar as suas vendas, a indústria tabagista têm investido fortemente no público feminino: cigarros “light”, “slim” e com sabores adocicados são desenhados especialmente para elas. A intenção é associar esses produtos ao desejo universal das mulheres se sentirem mais atraentes e passar a falsa impressão de que eles são menos nocivos à saúde.

Segundo a Aliança de Controle do Tabagismo (ACTbr), em dados brutos, ainda há quatro vezes mais fumantes homens que mulheres em todo o mundo. Mas enquanto o índice de homens fumantes vem se estabilizando – e, em países como o Brasil, diminuindo – o índice de mulheres tabagistas segue aumentando – sobretudo em países em desenvolvimento e do leste, centro e sul da Europa.

Tabagismo: ameaça à saúde da mulher

cigarro1_thumb[2]O tabagismo feminino é uma ameaça direta à saúde e ao bem estar das mulheres. Além de todos os danos que pode causar à saúde de qualquer pessoa, o hábito de fumar traz implicações específicas – e bastante graves – para elas.

O uso do tabaco potencializa o risco de doenças crônicas não transmissíveis, como diversos tipos de câncer e problemas cardiovasculares e cerebrais, e de embolia pulmonar. Entre as mulheres, pode provocar complicações na gravidez e no parto. Um único cigarro é capaz de acelerar, em poucos minutos, os batimentos cardíacos do bebê – devido ao efeito da nicotina em seu aparelho cardiovascular.

A contracepção hormonal torna-se menos eficaz entre as fumantes e a combinação de cigarro e pílula anticoncepcional aumenta em dez vezes as chances de desenvolver tromboflebite, em comparação com as mulheres que usam o medicamento e não fumam. Para elas, o hábito de fumar também pode levar à menopausa precoce e à impotência sexual – problema geralmente associado aos homens.

A questão do tabagismo feminino é tão grave que já é reconhecida como um desafio global para a saúde pública no século 21. A Convenção Quadro para Controle do Tabaco – primeiro tratado internacional da área da saúde – chama atenção para a urgência em estabelecer medidas para o controle específico do tabaco junto às mulheres. E mais: recomenda a participação plena das mulheres em todos os níveis de controle do tabagismo. Portanto, mãos à obra: #limitetabaco.

Saiba mais:
— Conheça a campanha da OMS para o Dia Mundial Sem Tabaco 2013
— Leia a reportagem “Maria Fumaça”, sobre tabagismo feminino, publicada na revista Rede Câncer, do INCA
— Conheça a Aliança de Controle do Tabagismo – ACT-Br
— Saiba mais sobre as leis antifumo e a mobilização nacional contra o tabagismo e a favor da vida no site da Aliança de Controle do Tabagismo

AGENDA DA PROMOÇÃO DA SAÚDE: 13 a 19 de Abril

12 abr

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE

FundoPalco_4,6m_x_2,4mO Ministério da Saúde vai realizar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe entre os dias 15 e 26 de abril. No sábado, 20 de abril, Dia de Mobilização Nacional contra a Gripe, serão montados postos de vacinação em igrejas, centros comunitários e creches. No Rio de Janeiro, todos os postos de saúde e Clínicas da Família estarão oferecendo a vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B), como recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS). As unidades funcionarão de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Confira a relação completa das unidades de saúde que participam da mobilização.

Idosos, crianças de seis a 23 meses, indígenas, gestantes, doentes crônicos e profissionais de saúde fazem parte do grupo prioritário. Este ano, a campanha também contempla mulheres no período de até 45 dias após o parto, porque o grupo apresenta as mesmas condições de saúde das gestantes e porque, pela amamentação, a vacina ajuda a proteger o bebê. Os doentes crônicos devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes já cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão cadastrados para receberem a vacina. Se na unidade de saúde onde são atendidos regularmente não existir um posto de vacinação, os pacientes devem solicitar prescrição médica na próxima consulta. A meta do Ministério da Saúde é imunizar pelo menos 80% do público alvo, o que representa 1.067.497 de pessoas.

A vacinação é segura e é a melhor forma para impedir doenças graves, internações ou mesmo óbitos por doenças graves associadas à gripe. Estudos demonstram que a imunização pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza. A vacina é constituída por vírus inativados, por isso não causa a doença.

Baixe as peças da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 2013. 

DOAÇÃO DE SANGUE

doe sangueO Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) convoca toda a população para doar sangue na próxima segunda-feira, 15. A ação tem a parceira do Hemorio e será realizada para atender as necessidades de sangue dos pacientes que serão operados no mutirão de cirurgias de joelho, que acontece entre os dias 15 e 19 de abril. Um posto móvel do Hemorio estará instalado no hall do segundo andar do Into, das 10h às 15h, para a coleta de sangue. Para participar, o voluntário deve apresentar documento de identidade com foto, ter entre 16 e 67 anos, pesar mais de 50 kg e estar bem de saúde.  Não é necessário estar em jejum.  Recomenda-se apenas evitar a ingestão de alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e o consumo de álcool nas últimas doze horas. O Into fica localizado na Avenida Brasil, 500, São Cristóvão.

PARTICIPE DO QUALISUS

qualisusO Projeto de Formação e Melhoria da Qualidade de Rede de Atenção à Saúde (QualiSUS-Rede) convida instituições de todo o país a realizarem estudos em cinco áreas: Apuração e gestão de custos em redes de atenção à saúde no Sistema Único de Saúde (SUS); Análise das experiências e os impactos da gestão do cuidado das condições crônicas em municípios brasileiros; Proposta de modelo de financiamento tripartite do sistema; Análise de diferentes modelos de governança e de contratualização instituídos no Brasil; e Desenvolvimento de estudo de apoio ao planejamento regional em saúde com foco na integração dos instrumentos de planejamento e gestão do SUS, o fortalecimento do enfoque territorial nos processos de formulação de políticas e a conformação de redes regionalizadas de atenção à saúde. Representantes de todas as secretarias do Ministério da Saúde, além da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e secretarias estaduais e municipais de Saúde podem se inscrever até 15 de abril. Confira as exigências contidas nos Avisos de Solicitação e Manifestação de Interesse. Informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones (61) 3315-3562 e (61)3315-3109, das 9h às 11h e das 14h às 17h,  ou  pelo e-mail qualisus@saude.gov.br.

VIRADÃO CARIOCA

viradc3a3o-carioca-2013Começa nesta sexta-feira, 12 de abril, a quinta edição do Viradão Carioca. Desta vez, o evento que reúne shows gratuitos terá palco em duas novas cidades, além do Rio de Janeiro: Nova Iguaçu e Niterói. Mais de 50 nomes da música brasileira já estão confirmados para animar a festa. No Palco Nova Iguaçu, sábado dia 13, as bandas Raimundos, Detonautas e Forfun prometem uma homenagem ao cantor Chorão –e x-vocalista da banda Charlie Brown Junior,  que faleceu recentemente. Em Niterói, quem comanda a pista são Arlindo Cruz, Monobloco e Preta Gil. No Rio, quem encerra o evento são os grupos Sorriso Maroto, Imaginasamba e o Dj Valdo. Além dos shows, os cariocas poderão se divertir com apresentações de humor, todos os dias no Quiosque Globo Rio, em Copacabana. Promovido pela Riotur, em parceria com a Globo Rio, o Viradão Carioca acontece até domingo, 14 de abril. Confira a programação completa do Viradão Carioca.


DEU CERTO! Jovens do RAP da Saúde enfrentam a violência de gênero

16 mar

Menos flores e mais direitos. Este foi grande diferencial do evento Mulher: Poder Público Presente, que aconteceu na quinta-feira (14), durante o dia todo, no Largo da Carioca, Centro do Rio. Na atividade, coordenada pela Subsecretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPMulheres – RJ), representações de mais de 10 instituições públicas que prestam serviços às mulheres estiveram divididas em 10 tendas no local, oferecendo informações e atendimento.

Jovens do rap da saúde em ação sobre enfrentamento da violência de gênero

Jovens do rap da saúde em ação sobre enfrentamento da violência de gênero

Os participantes ainda percorreram o entorno, distribuindo materiais e conversando com quem passava sobre temas como direitos da mulher, violência e saúde. Também tiraram dúvidas e orientaram as pessoas sobre o conjunto de serviços de atendimento à mulher, principalmente, àquela em situação de violência.

Os jovens do RAP da Saúde marcaram presença e, com a animação de sempre, fizeram questão de se apresentar e conhecer todos os serviços da rede responsável pela garantia dos direitos das mulheres. Além de aprender, também passaram informações e distribuíram kits de prevenção criados por eles próprios nos polos do projeto.

“O ganho desse evento, além da promoção de saúde, foi termos inspirado um garoto que passou por nós enquanto distribuíamos os kits”, conta Luciano Correa, do polo Rocinha, sobre um jovem que se interessou pelo RAP durante a sua participação no evento. “Acho que foi mais uma experiência de aprendizado que vivo no projeto”, avalia.

A ação se deu em um local de grande fluxo de pedestres. Somente pela estação do metrô da Carioca passam mais de 80 mil pessoas por semana, isto é, mais de 10 mil por dia. Marcelle Lyra, Coordenadora da Rede de Serviços de Atendimento à Mulher (SPMulheres – RJ) destacou a importância da ida dos serviços públicos até os locais onde a população está. “Essa rede hoje foi transferida para a rua, oferecendo serviços à população e informando-a sobre a existência desses órgãos. Contamos um pouco do que fazem, mas também atendemos as mulheres. Foi um dia de muita busca de informação por quem passou, principalmente, por pessoas que vivenciam ou tem contato direto com situações de violência contra a mulher”, diz.

A SPMulheres – RJ compõe a Rede Capital, de instituições como a Secretaria Estadual de Saúde (SES), Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Tribunal de Justiça e o Centro de Referência de Mulheres da Maré,  todas presentes. Esses serviços se reúnem mensalmente para promover uma articulação que tem o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento, tornando-o cada vez mais integrado.

Aline Vieira fala sobre o uso do preservativo feminino

Aline Vieira fala sobre o uso do preservativo feminino

E não só as mulheres mostraram que sabem enfrentar a violência de gênero (aquela baseada na falsa ideia de que o masculino é superior ao feminino e por isso deve ter mais direitos). A presença dos homens nesse trabalho de difusão de informação provou que superar as desigualdades de gênero é tarefa de todos. Na parte da tarde, o grupo de jovens do RAP era representado em sua maioria por homens.

Na tenda da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência (Sejem), do Tribunal de Justiça, os homens também eram maioria. O assessor Cláudio Faria disse que a resposta da população foi excelente. “Coordenamos todos os Juizados de Violência Domestica do Rio e, sem dúvida, a informação é o instrumento mais importante. Distribuímos milhares de cartilhas sobre a Lei Maria da Penha e uma mulher que estiver em situação de violência vai saber muito bem o que fazer e quem procurar”, explica.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 2013

7 mar

Nesta sexta-feira, dia 08 de março, comemoramos o Dia Internacional da Mulher. Em meio às homenagens, é importante chamar a atenção para o enfretamento da violência que ainda persiste contra as mulheres. Segundo dados do Mapa da Violência 2012, uma cada em cada cinco mulheres brasileiras considera já ter sofrido violência dentro de casa.

Atento a essa questão, o Instituto Promundo lança nesta sexta-feira, 8 de março, a campanha:  “Dê um Toque”, que busca engajar homens na luta pelo fim da violência contra mulheres. A iniciativa está alinhada à campanha global “Ring the Bell”, que será inaugurada também na sexta-feira, durante a 57ª sessão da Comissão sobre o Status das Mulheres da Organização das Nações Unidas (ONU).

A proposta é reunir, até 25 de novembro, um milhão de mensagens de homens comprometendo-se a realizar ações concretas para construir um mundo mais seguro para mulheres e meninas. E participar da iniciativa é simples! Basta compartilhar – durante o dia 8 de março e também durante todo o ano; por meio das redes sociais on-line e em ações off-line – as peças da campanha, que trazem mensagens sobre o impacto da violência contra mulher e orientações sobre como prevenir o problema. As peças da campanha estarão disponíveis nas páginas do Instituto Promundo no Facebook e no Twitter.

Atividades no Rio de Janeiro

postal da saúde: violência contra a mulherNa sexta-feira, 8 de março, a mesa-redonda Mulher, Esporte e Saúde recebe a coordenadora do projeto Academia Carioca da Saúde, Júnia Cardoso; Maria Isabel Alencar, a Isabel do Vôlei; e Daniele Hypólito, ginasta do Flamengo. O evento acontece no Hospital-Escola São Francisco de Assis da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Cidade Nova, de 9h às 11h. Além do debate serão realizadas atividades de orientação em saúde sexual e reprodutiva na Praça dos Correios, próxima ao Centro Cultural dos Correios (Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro).

A programação continua na semana seguinte,  com a mobilização Mulher – Poder Público Presente, que movimentará o Largo da Carioca na quinta-feira, 14 de março, de 10h às 17h. O evento, que será oportunidade para a divulgação os serviços de apoio à mulher, é organizado pela Rede Capital de Enfrentamento à Violência contra Mulheres, coordenada pela Subsecretaria de Direitos das Mulheres da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro.

A Rede de Adolescentes e Jovens Promotores de Saúde – RAP da Saúde estará no Largo da Carioca para interagir com os transeuntes e estimular debates e reflexões sobre o tema. Promotores de Justiça e uma equipe da Ouvidoria do Ministério Público do Rio de Janeiro também participam da ação e estarão no local para prestar esclarecimentos e tirar dúvidas da população.

ELOS DA SAÚDE: Retrospectiva 2012

28 dez

Neste final de ano, desejamos a tod@s a oportunidade de refletir sobre as experiências que vivenciamos e nos preparar para um novo ciclo de trabalho, realizações e, claro, saúde!

Preparamos uma Retrospectiva 2012 com os posts mais significativos– seja pelo número de acessos, de comentários ou pela relevância do tema. E aproveitamos para lançar uma enquete. Até 2013!

ELOS DA SAÚDE: Retrospectiva 2012

O mapeamento realizado por jovens e adolescentes identifica e georreferencia áreas de risco socioambiental na Rocinha, no Borel e nos morros dos Prazeres, dos Macacos e do Urubu, no Rio de JaneiroJovens mapeiam riscos em comunidades do Rio –Em março de 2012, jovens de cinco comunidades cariocas apresentaram os primeiros resultados da iniciativa Mapeamento de Riscos Socioambientais Guiado pela Adolescência e Juventude - uma estratégia de educação ambiental e redução de riscos para promover melhores condições de vida e saúde em centros urbanos, que aposta na atuação de jovens e adolescentes como agentes de transformação social.

— Conheça os resultados da iniciativa Mapeamento de Riscos Socioambientais Guiado pela Adolescência e Juventude

Laço da Gentileza no Namoro, símbolo do Mês de Prevenção das Violências no Namoro

Namoro Saudável – Em 2012, o Mês de Prevenção das Violências no Namoro, comemorado em junho, aproveitou o debate em torno do cuidado com o planeta, proporcionado pela Rio+20, para discutir o cuidado nas relações humanas. Na Cúpula dos Povos, integrantes do RAP da Saúde apresentaram espetáculos de dança, vídeos, distribuíram os postais da saúde, preservativos e conversaram com as pessoas sobre a importância de promover a gentileza e prevenir as violências no namoro.

— Confira: Promoção da Saúde na Cúpula dos Povos

— Saiba mais sobre o Mês de Prevenção das Violências no Namoro

Mês de Valorização da PaternidadeMês de Valorização da Paternidade – Comemorado em agosto, o Mês de Valorização da Paternidade propõe a reflexão sobre o papel do pai no cuidado com seus filhos e a valorização da participação do homem em todo o processo de crescimento e desenvolvimento da criança, desde a gestação. Em 2012, a mobilização coordenada pelo Comitê Vida abordou a participação do pai na amamentação, reconhecendo-o como um componente essencial para a saúde e o bem-estar da mãe e do bebê. A campanha teve como mote o lançamento de um novo cartão postal da série Colecione Saúde: “Pai, você é muito importante para o sucesso da amamentação!”.

— Saiba mais sobre o Mês de Valorização da Paternidade

— Leia também: Direito de Ser Pai: Licença Paternidade

Setembro Azul: Jovens surdos e ouvintes em mobilização na praia de Copacabana

Setembro Azul – O Dia Nacional do Surdo, lembrado em 26 de setembro, foi oportunidade para dar visibilidade à luta de milhões de brasileiros por melhores condições de vida, saúde, educação, trabalho, lazer e cidadania para pessoas que não ouvem ou têm a audição parcialmente comprometida. O RAP da Saúde – Polo Masao Goto participou ativamente da mobilização, em atividades como caminhada pela orla de Copacabana, o seminário promovido pela Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos (Feneis) e o  XI Congresso Internacional e XVII Seminário Nacional do Ines.

 — Lembre como foi o Setembro Azul 2012

RAP DA SAÚDERAP da Saúde: Protagonismo Juvenil e Promoção da Saúde – No segundo semestre de 2012, a Rede de Adolescentes e Jovens Promotores da Saúde – RAP da Saúde promoveu processo seletivo para o ciclo 2012-2014. No momento, as inscrições para o RAP da Saúde estão encerradas. Mas você pode se cadastrar em nosso banco de talentos para futuras oportunidades. Lembre-se: Para se tornar um jovem promotor da saúde, você precisa estar disposto a participar das atividades de formação, pelo menos três vezes por semana – e eventualmente aos finais de semana. Você receberá uma ajuda de custo e todo o apoio de nossa equipe multidisciplinar.

— Conheça o RAP da Saúde e saiba como se cadastrar

ideiasCafé com Ideias: Intersetorialidade para Promoção da Saúde – Em outubro, Coordenação de Políticas e Ações Intersetoriais da Superintendência de Promoção da Saúde da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro (CPAI/SPS/SMSDC-RJ) promoveu o Café com Ideias: Intersetorialidade para Promoção da Saúde. Nesta edição, o encontro com representantes das Coordenadorias de Saúde das Áreas de Planejamento (CAPs) foi motivado pela pergunta “Como as CAPs podem qualificar as ações intersetoriais em seus territórios?”

— Conheça a experiência do Café com Ideias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 895 outros seguidores